segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O dia depois do Natal

E pronto, esfumou-se. Já se acabou o Natal, já ninguém canta o "jingonbél", o ar já não cheira a fritos nem a canela e a família já dispersou.
A nossa consoada foi boazita, com comidinha boa, no quentinho do lar e com a companhia de alguns familiares queridos. Os cachopos brincaram que se fartaram, deixaram o quarto dos brinquedos uma autêntica "war zone" e receberam roupas, brinquedos e tostanito.

E agora um pouco de má-língua (má-lingua não, é a verdade, porra): os meus cunhados vieram passar a consoada connosco, comeram, beberam, receberam um bolo da lata feito aqui pela parvalhona e não tiveram nada, nicles, bataticles que nos oferecessem. Zero. Nem uns bombons, nem umas meias, nada de nada. É muito descaramento.

5 comentários:

triss disse...

Não é bonito não oferecer nada à anfitriã da festa:-/

mãe pimpolha disse...

Realmente, é preciso ter lata.
Beijocas

A mamã da Beatriz... disse...

Ui... eu conheço "gente" assim... Para o ano, nem bolinho de lata já sabes!!!!

Sónia disse...

É preciso ter mesmo muito descaramento!

Mara disse...

Idem idem, aspas aspas... Desculpam-se com a crise, mas caramba... há miminhos e lembranças que não ficam dispendiosos...
Beijocas